Todos.

É você também!

 Você percebe bem o mundo que ti rodeia? Você olhou mesmo com os olhos da realidade os fatos que geralmente rondam a sua vida? – Sentiu exatamente o quê?
Pois é, são mistas as nossas sensações, na verdade são variadas as verdades, verdades camufladas e aquela que se você não criar vai acabar enlouquecendo a tanta mediocridade, futilidade e adjetivos que rebaixem (se é possível) ainda mais o mundo ao nosso redor ou esses tais seres humanos que nele habita.
Acontece que não há um absoluto que ti faça sorrir, ao contrário a tudo de absoluto quando suas lágrimas começam a rolar pelo seu rosto num momento qualquer, mas e daí? São suas lágrimas, suas desilusões, seus rancores e espinhos e isso não me apetece; são seus problemas, sua vida, seu mundo, seu caminho, seus fardos, seu (ser sozinho).  Simples, viver assim.
“O dia em que aprendi”  viver por mim mesma sem olhar a dor do meu próximo; que aprendi viver melhor ignorando os passos em falsos do que estava a minha frente, que aprendi a fechar os olhos aos tombos de meus amigos; no dia em que vi que era fácil sorrir sendo assim. Não sou eu, não estou ali, não adjetivei minhas características piegas, infantis, e sonhadores demais para essa humanidade imbecil. 
Acontece que podem se passar estações,e o declínio invadirá numa chuva de punhais loucos por saborear o sangue de quem ainda ama, sente, acredita e tem fé que tudo pode mudar na virgula seguinte, que essa simples dissertação pode terminar num “Felizes para sempre”. Não, ela não terminará porque a realidade foi tão cruel que não fantasiarei só para satisfazer ou deixar sua mente um pouco mais aliviada ao deitá-la no travesseiro e tentar manter seus sonhos coerentes com seu estado de espírito, que nessa noite será um tormento ao perceber as chamas da maldade que estão libertos por aí, a atacar quem menos merecia seus fardos inescrupulosos.
É incrível a capacidade de sorrirem após perceberem o quanto sua alma anda fatigada, cansada dos caminhos tortuosos; é simplesmente fantástica a capacidade do ser humano em conviver como abutres da dor alheia.
Mas e daí, mudou algo dentro de você? Fácil ignorar, difícil caminhar e destilar o gosto amargo, impuro e repugnante da alma estilhaçada.

Parabéns, sua vida brilha conceitos podres que alguém poderia ter. Mas e daí? È um orgulho pra você né?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s