Diário de Bordo, Todos.

Alguém

6272370401_6b315412c6_z

A um tempo venho questionando o meu amor pela escrita, o meu “dom” de descrever as coisas que se passam dentro de mim. Questionei-me se não seria só a situação, os momentos que me faziam transbordar palavras que às vezes eu nem chegava cogitar. Como sempre o silêncio falou por mim… Tenho tentado ficar, ficar aonde eu estava quando tudo isso aqui começou, quando decidi que a conversação não significava tudo que há em mim, e as palavras acalmavam os furacões que minha mente criava. Achei aqui dentro um alento que nenhum abraço me deu, que nenhum sorriso me trouxe, achei uma calmaria que transformou meus dias em doces e suaves movimentos; aqui em cada verso, cada linha achei uma explicação razoável para continuar uma jornada descontínua e dolorosa. Descobri-me amando alguém verdadeiramente, e vivendo esse amor com todas as vírgulas, pontos e nuances até o ponto final, sem dor. Descobri dentro dos meus muitos parágrafos uma mulher que cresceu e abandonou seu medo de viver, uma mulher que saiu da imaturidade e foi viver o que a vida vinha lhe oferecer. Dentro das minhas linhas descobri a simplicidade, o afago, o carinho e as memórias que nunca poderia deixar pra trás… Descobri-me por inteira e me refiz quantas vezes me foi necessário. Até mesmo quando o mundo perdia seu sentido, descobri-me na fraqueza, e na força ao levantar de mais um golpe. Relendo, revivi minhas dores, senti minhas cicatrizes e relembrei quem já fui, e vi quantas e quantas vezes me levantei. Hoje a sensação não é do quanto deixei pra trás, nem do quanto me fizeram descrer numa mudança, hoje a sensação é de um aprendizado imenso, da paciência, da perseverança que viveram ao meu lado invisíveis e sutis a me afagar a cada oscilada. Hoje o que fica em mim é cada vez mais real, é a cada passo mais “eu”. Hoje o que tem aqui é uma mulher que não desacredita quando uma porta se fecha, quando um “não” lhe é dito, quando um sentimento não lhe é dado. Uma mulher que sabe que por menores que sejam seus atos e mesmo que muito deles não sejam valorizados, alguém, um qualquer alguém irá perceber a minha luta por viver, e só por existir, isso me basta.

 

mais uma vez, me questionei sobre continuar, onde eu estava e foi aí que me encontrei…

BekiGirl

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s